Você já imaginou quantos passos nós damos por dia? E quem sofre mais com os problemas nos pés, os homens ou as mulheres? Aqui, nós reveleremos algumas dessas curiosidades.

Pontos Auriculares dos Pés

Olá Leitores,

Sabe aquelas estatísticas que nós raramente paramos para pensar, mas que revelam fatos que são muito importantes para nós e para a manutenção da nossa qualidade de vida? Então, o Scarpin Preto traz para vocês algumas curiosidades sobre os pés e as causas de alguns dos problemas adquiridos, sobretudo por mulheres, nos dias de hoje. As informações são da Dra. Joana Azevedo, podologista atuante em Portugal. Vejam a seguir:

1. Um adulto dá em média 4000 a 6000 passos por dia, o que equivale a 5 voltas à terra ao longo da sua vida.

2. De 75 a 80% da população adulta tem algum problema nos pés.

3. Todos os anos a população feminina perde 44 milhões de dias de trabalho devido a dores nas costas, causadas pelo uso de saltos altos e sapatos inadequados. Na realidade, as mulheres têm cerca de 4 vezes mais problemas nos pés do que os homens, sendo o uso de saltos altos um dos fatores que mais contribui para este problema.

4. Sabia que os nossos pés são a zona do corpo com mais glândulas suduríparas por centímetro quadrado? Os pés possuem 250000 glândulas suduríparas que produzem mais de dois decilitros de suor por dia!

5. 20% da população considera os pés a zona menos atraente do seu corpo.

6. Porque é que as mulheres têm mais problemas nos pés do que os homens? Um estudo americano chamado ‘Se o sapato lhe servir, use-o’ concluiu que 9 em cada 10 mulheres usam sapatos demasiados pequenos para o tamanho dos seus pés e que acima dos 60 anos 70% das mulheres terão problemas osteoarticulares nos seus pés.
À medida que envelhece, os seus pés tendem a alargar, mas poucas mulheres gostam de os medir a partir dos 20 anos. Os problemas nos pés aparecem maioritariamente, aos 40, 50 e 60 anos, no seguimento de décadas de utilização de sapatos mal dimensionados.

Esperamos que essas informações sejam úteis para os nossos leitores e que em casos patológicos mais urgentes, recomendamos que um especialista seja consultado evitado maiores transtornos.

Fonte: http://podologia.sapo.pt/10867.html

Comentários
  1. Gizelle Cariello

    Adorei!

    Responder